ITUAÇU: Criança de 4 anos com câncer precisa de doador de medula

Esse menino lindo é Marcelinho que vem lutando contra a Leucemia (LLA), e esteve por alguns meses de alta do tratamento. No entanto, há poucos dias, a doença retornou, ainda mais contundente. Ele encontra-se internado no Hospital Santa Isabel – em Salvador/Bahia -, necessitando de um transplante de medula. Marcelinho, de apenas quatro anos, e busca um doador compatível.

Para ser doador, é muito simples. Basta seguir esses passos:

1) Ir ao hemocentro da sua cidade para coleta de apenas cinco ml de sangue. Isso é para a pesquisa de compatibilidade, para ser doador de medula.

2)Fazer o cadastro de doador, no site REDOME.

Como o Sistema de doação é interligado, a coleta de sangue pode ser feita em qualquer hemocentro, sem a necessidade de ter que ir a Salvador.

No próximo dia 28/11, Marcelinho irá completar cinco aninhos! Seu maior e melhor presente chama-se VIDA!

Texto adaptado: Luiza Gouvêa / Foto: divulgação

A leucemia é uma doença maligna dos glóbulos brancos, geralmente, de origem desconhecida. Tem como principal característica o acúmulo de células doentes na medula óssea, que substituem as células sanguíneas normais.

A medula óssea é o local de fabricação das células sanguíneas e ocupa a cavidade dos ossos, sendo popularmente conhecida por tutano. Nela são encontradas as células que dão origem aos glóbulos brancos (leucócitos), aos glóbulos vermelhos (hemácias ou eritrócitos) e às plaquetas.

Na leucemia, uma célula sanguínea que ainda não atingiu a maturidade sofre uma mutação genética que a transforma em uma célula cancerosa. Essa célula anormal não funciona de forma adequada, multiplica-se mais rápido e morre menos do que as células normais. Dessa forma, as células sanguíneas saudáveis da medula óssea vão sendo substituídas por células anormais cancerosas.

Existem mais de 12 tipos de leucemia, sendo que os quatro primários são leucemia mieloide aguda (LMA), leucemia mieloide crônica (LMC), leucemia linfocítica aguda (LLA) e leucemia linfocítica crônica (CLL).

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑