Tanhaçu completa hoje 59 anos de emancipação política com muita história

O município de Tanhaçu, limite sul da Chapada Diamantina, foi emancipado no dia 22 de setembro de 1961. Mas a história do povo tanhaçuense vem de longa data, desde tribos indígenas naquela região sertaneja.


História de Tanhaçu:
A comunidade surgiu nos meados do século XVIII em virtude da expediçao comandada pelo bandeirante André da Rocha Pinto, que se estabeleceu na regiao, pela alta fertilidade dos solos, desenvolvendo a agropecuária. Tanhaçu originou-se da língua Tupi-Guarani, cujo significado é ?Porco Grande?, pois sua regiao era primitivamente habitada por índios e existia grade quantidade de porcos. A partir de 1780 intensificou-se o povoamento da regiao resultando na formaçao de vários lugarejos, entre eles o povoado dos ?Laços? estabelecendo como distrito em 1935. A sede distrital foi transferida, já com nome de Tanhaçu, para o Arraial dos Porcos em 1953, em virtude de localizar-se junto aos trilhos da Rede Ferroviária Leste Brasileira. O distrito foi criado em 1935, pela Lei Estadual n° 9.321, e o município em 22 de setembro de 1961 pela Lei Estadual n° 1.676, com território desmembrado de Ituaçu. Na ocasião era composta dos distritos de Tanhaçu e Sussuarana, como permanece até hoje. Possui quatro pequenos povoados, Sussuarana, Ourives, Várzea da Pedra e Laços. Tanhaçu, típico do interior nordestino, sobrevive da agricultura, pecuária e do comércio. Ligada pelas rodovias BA-030 e BR-116 a capital do estado e as regioes nordeste e sudoeste do país. Tanhaçu sofreu um certo progresso pelo intercâmbio comercial ocorrido, principalmente com os municípios de Brumado, Vitória da Conquista e Jequié. A partir da pavimentaçao e do asfaltamento destas rodovias, mas nao suficiente para sua autonomia. Sua estrutura fundiária é formada por pequenas propriedades, nao existindo a herança de grandes latifúndios no município. Os moradores mantém um comportamento social muito satisfatório, sob a orientaçao das Igrejas e da Pastoral da Criança.

Fonte: IBGE / Foto: Reprodução

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑